VELOCIDADE DO SITE SAIBA COMO TESTAR

Velocidade do Site saiba como testar

 

A velocidade do site é um fator significativo que influencia no posicionamento da página nos resultados de pesquisa. Por ser tão importante para a estratégia de SEO, é necessário acompanhar todas as variáveis que podem alterar esse valor, como por exemplo, o tamanho das imagens e arquivos carregados no tempo em que o usuário acessa o site.

Outro fator que afeta a velocidade de carregamento da página é a maneira como o site é desenvolvido, em outras palavras, a falta de otimização nos códigos. Por esse motivo é importante utilizar ferramentas de desenvolvimento que tenham o cuidado de garantir um retorno eficaz e rápido ao usuário como o WordPress

Quer ter um site otimizado? Então, não deixe de conferir este artigo até o fim! Vamos lá?

Por que a velocidade do site é importante?

Levando em conta a pesquisa realizada pelo Google/SOASTA Research 2017, o tempo ideal para carregar uma página é de 3 segundos. Nesse âmbito, o índice de bounce rate, que corresponde à taxa de rejeição da página do usuário, corresponde a 32%. Se o tempo oscilar entre 1 segundo e 10 segundos, a chance de que ele desista da espera passa para 123%.

Uma taxa de desistência elevada pode comprometer toda uma estratégia de marketing digital e inibir seus negócios. Por exemplo, em uma loja virtual, esses indicadores podem retratar prejuízos financeiros, pois cada usuário que desiste de esperar a página carregar pode ser um consumidor a menos na sua loja, então este é um dos principais motivos da velocidade do site ser tão importante.

O que pode interferir na velocidade do site?

Quando o usuário teclar uma URL em um determinado dispositivo, é realizada uma requisição no servidor para que a página seja carregada. A partir de então, todos os arquivos HTML, JavaScript, CSS e imagens devidas para a exibição do conteúdo são enviados do servidor de origem para o dispositivo de acesso.

Quanto maior forem esses arquivos e imagens, maior também será o tempo para que a página seja completamente carregada no dispositivo de acesso. Por este motivo, para garantir uma boa velocidade do site é importante medir a performance do site para comprovar quais pontos são necessários ter maior atenção.

Os códigos incorretos também são um problema para o carregamento das páginas. Um exemplo a ser citado são as tags, sem o fechamento correto ou a abertura de diversas conexões para o acesso ao banco de dados de uma determinada seção, ou o carregamento de informações desnecessárias. Todos esses elementos favorecem a performance baixa do site e prejudicam o rankeamento no Google.

Quais são as ferramentas utilizadas para medir a velocidade do site?

Há várias opções de ferramentas que ajudam a testar a velocidade de carregamento da página. Em cada uma, é necessário informar a URL correspondente e obter um relatório completo com o tempo administrado e os principais problemas encontrados. Entre as informações expostas, é possível conferir:

  • O que já foi desenvolvido de forma correta;
  • O que pode ser melhorado;
  • Estudo das requisições realizadas durante o carregamento;
  • Tempo que a página leva para carregar completamente.

O resultado do estudo de velocidade contribui para a resolução das dificuldades encontradas. Elencamos abaixo algumas das principais ferramentas para monitorar a velocidade do seu site.

Principais ferramentas para monitorar a velocidade do seu site:

  • Page Speed Insight:
    Essa é uma ferramenta criada pelo Google e oferece avaliação para o site em dispositivo mobile e desktop. O resultado de estudo de velocidade varia entre 0 a 100 – sendo classificado por cores:
    Vermelho: lento e pontuação de 0 a 49;
    Amarelo: médio e pontuação de 50 a 89;
    Verde: rápido e pontuação de 90 a 100.

A ferramenta também mostra os problemas identificados na avaliação e sugere alternativas para solucionar cada um, além de apresentar em quais os critérios o site foi bem avaliado.

  • Pingdom Website Speed Test:
    Aqui é permitido avaliar a performance da página a partir de diferentes localizações. O resultado mensura a pontuação sobre a performance, o tamanho da página, o tempo para carregar e o número de requisições realizadas, assim como também apresenta quais foram os response codes identificados durante a análise, isto é, são os códigos de status HTTP que ocorrem no servidor. Desse modo, é fácil identificar erros de redirecionamento ou requisições que apresentaram erros de servidor, por exemplo.
  • GTmetrix:
    Essa ferramenta traz inúmeras avaliações discriminatórias sobre a performance da página. Ela realiza uma dupla análise: em que um dos critérios realizados pela PageSpeed Insight do Google, e a outra baseada no YSlow que utiliza critérios definidos pelo Yahoo.

A página de resultados faz o detalhamento de cada método, além da pontuação e nomeação de ações necessárias para sanar o problema. Há também a versão paga desta ferramenta, que possibilita recursos como a monitoração de várias URLs e muito mais.

  • WebPagetest:
    O resultado do estudo dessa ferramenta é muito bem detalhado e mostra a contagem do tempo desde o carregamento até que a página esteja completa. Assim como a performance de cada requisição mostrando por exemplo, qual foi o consumo de CPU para executar cada requisição.
  • Web Page Analyzer:
    Essa ferramenta apresenta uma avaliação de todas as requisições feitas pela página, assim como o tempo de download para cada documento carregado. A análise disponibiliza as recomendações necessárias para garantir a otimização do site.
  • WebSite Test:
    Oferece a possibilidade de simular o acesso à página em diversas localidades. No estudo de performance, é possível verificar o desempenho também de diferentes locais. Já sobre a análise de velocidade , o relatório é bastante detalhado e apresenta a totalidade de requisições efetuadas e avaliação de cada uma delas.
  • GeekFlare:
    Essa ferramenta oferta a possibilidade de análise de desktop e dispositivo mobile. O relatório lançado apresenta o tempo que a página leva para ser carregada e quanto a mesma demorou até carregar o primeiro byte, além de expor prints de tela em diferentes momentos do carregamento e velocidade do site.

Apresenta um relatório bem detalhado com sugestões de melhorias, como por exemplo, a auditoria que a ferramenta faz, mostra se o site opera com alguma biblioteca JavaScript desatualizada e o grau de risco que representa. Assim, é possível avaliar a vulnerabilidade na página.

  • GiftOfSpeed:
    Essa ferramenta disponibiliza a possibilidade de avaliar o site em diferentes localidades e contém a pontuação correspondente a cada uma. O relatório disponibiliza informações do tempo utilizado, com requisições internas e externas, o que admite uma boa avaliação, principalmente em relação às solicitações em outros servidores.
  • BatchSpeed:
    Essa é uma ferramenta que busca fazer uma avaliação de velocidade tanto para dispositivos mobile quanto para desktop. Tendo como vantagem o estudo de todas as URLs existentes a partir da URL informada. Consequentemente é possível obter uma boa avaliação da performance do site como um todo e conferir as sugestões determinadas para cada uma delas.
  • Dareboost:
    Aqui é possível fazer a simulação de carregamento do site a partir de variadas localizações. O relatório exibido é bem detalhado e faz análises sobre cada requisição efetuada pela página, sendo possível, observar quais estão demorando mais tempo.

As sugestões mostradas contam como exemplos e apontam problemas como duplicidade de código em arquivos de estilo CSS mostrando as tags HTML no qual os elementos não estejam preenchidos da maneira correta.

Como aumentar a velocidade do site?

As ferramentas que acabamos de elencar disponibilizam uma série de sugestões de boas práticas que são utilizadas para garantir uma performance de qualidade ao site. Contudo, elas devem ser avaliadas sempre que um site for desenvolvido.

Confira algumas dicas para garantir um incremento na velocidade do site:

Utilize CSS para desenvolver botões e resultados decorativos ao invés de utilizar imagens, dado que os arquivos de folha de estilo são menores e mais acessível de personalizar;

Procure evitar o uso de redirecionamento de páginas e se assegure que todos os arquivos necessários estejam no lugar indicado para minimizar erros de documentos não encontrados;

Realize a otimização das imagens que serão aplicadas no site (há diversos plugins para WordPress que ajudam dessa questão);

Faça uso de ferramentas para compressão de arquivos JavaScript, CSS, HTML e imagens para diminuir o tamanho e aumentar velocidade;
Não deixe de verificar o código para assegurar que as tags estejam completas, fechadas de forma adequada e se não existem espaços em branco ou textos ocultos.

O que o termo hack significa?

O termo hack (do inglês “to hack”, significa cortar) e faz referência à reconfiguração ou reprogramação de um determinado sistema de função, não autorizada pelo proprietário, administrador ou designer.

A expressão tem vários significados que se reporta a tecnologia e ciência da computação: pode relacionar-se a uma correção ou melhoria rápida e eficaz de um problema. Os termos “hack e hacking” são também empregados para se referir a uma mudança de programa ou dispositivo para proporcionar ao usuário, o acesso a recursos não disponíveis anteriormente, como adequação de acessibilidade.

Verificar a velocidade do site é primordial para identificar e corrigir diferentes fontes que impactam a performance e o rankeamento, já que influencia de maneira direta no seu rankeamento orgânico no Google e outros buscadores – melhorando a experiência do usuário e assim aumentando a taxa de conversão

Não deixe de utilizar as diferentes ferramentas disponibilizadas no sistema e não se esqueça das boas práticas durante o desenvolvimento e manutenção do site. Agora chegou o momento de colocar todas essas informações em prática.

E-book

Para saber mais sobre como montar uma operação de ecommerce, baixe o e-book.