PIX – SAIBA TUDO SOBRE ESSE NOVO MÉTODO DE PAGAMENTO

Pix – Saiba tudo sobre esse novo método de pagamento

O Pix é uma das inovações tecnológicas que vem ganhando força nos últimos meses, com várias empresas e instituições financeiras apostando em marketing. 

Entretanto, surgiram uma série de perguntas em relação ao tema e, pensando nisso, vamos mostrar todas as informações que você realmente precisa saber para entender como fazer parte dessa mudança. 

O que é o Pix? 

Para começar, é importante destacar que Pix nada mais é do que um sistema de pagamento instantâneo criado pelo Banco Central (BC) em que os recursos são transferidos entre contas em poucos segundos, a qualquer hora ou dia.

 O Pix pode ser realizado a partir de uma conta corrente, conta poupança ou conta de pagamento pré-pago.

Além de aumentar a velocidade em que pagamentos ou transferências são realizadas e recebidas, a ferramenta também tem o potencial de:

  • Alavancar a competitividade e a eficiência do mercado;
  • Baixar o custos operacionais;
  • Aumentar a segurança e aprimorar a experiência dos clientes;
  • Incentivar a eletronização do mercado de pagamentos de varejo;
  • Promover a inclusão financeira; e
  • Preencher uma série de lacunas existentes na cesta de instrumentos de pagamentos disponíveis atualmente à população.

Onde você pode encontrar a ferramenta? 

O Banco Central aprovou 980 instituições, incluindo bancos, financeiras, fintechs, instituições de pagamentos, entre outras, para oferecer o Pix como um meio de pagamento dentro de seus aplicativos. Desta forma, o Pix não será oferecido através de um aplicativo à parte ou específico, mas dentro do app que você já usa de sua instituição. 

Em síntese, ao acessar o aplicativo, você verá essa opção para transações. Da mesma forma que ainda vai permanecer as transferências por TED e DOC. 

Vale destacar que a ferramenta não vem como um substituto do mercado, mas como uma opção extra para transações comerciais.

Como criar a chave PIX? 

Basta usar uma das quatro formas de identificação disponíveis: e-mail, número de telefone celular, CPF/CNPJ, ou ainda a chave aleatória (endereço virtual de pagamento, o EVP). A chave aleatória funcionará como o login e possuirá um conjunto de números, letras e símbolos gerados de modo aleatório para identificar a conta de destino do dinheiro. A última opção é a única forma de receber um Pix sem precisar informar seus dados pessoais.

Como o Pix pode influenciar no marketing digital das empresas?

Dentro do ambiente de negócios do “novo normal” no qual estamos vivendo, para estar à frente ou tentar minimizar os riscos nos negócios, muitas empresas necessitarão de uma abordagem extremamente diferente da que vinham praticando para manter-se na ativa e poder evoluir.

O novo sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central chegou para transformar esse nicho do mercado e pode acabar, de maneira definitiva, com os sistemas de DOC e TED, oferecidos pelos bancos atualmente.

Certamente, o PIX, antes mesmo de ser efetivado, já traz uma consequência instantânea para o setor de publicidade e inteligência de mercado, que é a de aplicar-se aos dados sobre o impacto dos pagamentos na vida das pessoas, o que isto trará de novidades no comportamento dos consumidores e de qual forma as pessoas estão fazendo suas transações. Enfim, com o PIX, você paga, recebe e transfere de forma simples e segura através de QR Code, um pagamento instantâneo que pode ajudar ainda a diminuir as intermináveis filas nos bancos.

Sem dúvida alguma, essa ferramenta causará uma verdadeira revolução não somente nas formas de pagamentos, mas em toda ação que oferece dados significativos para praticamente todos os setores da economia. Para quem trabalha com marketing digital, as tecnologias de última geração, como por exemplo, Machine Learning, Inteligência Artificial e Digital Twin serão as principais aliadas das companhias que vivem neste cenário. 

O quanto conseguimos aprender com essa revolução está no essencial da questão. Se o mundo se tornou mais virtual com a pandemia, é para lá que os grandes negócios tendem a seguir.  Até porque, é notório que a popularização do uso do QR Code e outros pagamentos por aproximação durante a pandemia, vão remodelar a experiência de compra do consumidor para sempre. Ou você não concorda que é uma ótima experiência eliminar aquela continha com os bancos, que cobram taxas para fazer um DOC ou um TED? 

Baratear e democratizar o custo das operações de transferências e pagamentos é justamente o objetivo que o Banco Central anunciou.

Sintetizando, uma operadora do PIX poderá garantir uma parcela do bolo de consumidores que terão a disseminação dos meios de pagamento de forma online e buscar ferramentas de marketing digital, podendo dar a essas empresas uma vantagem incrível atrás dos clientes cansados de idas e vindas aos bancos.

O que PIX muda na minha operação de e-commerce?

Hoje, os métodos de pagamento mais utilizados nas lojas online são o boleto bancário e os cartões de crédito. Como o boleto bancário necessita de 48 a 72 horas para aprovação, as encomendas e o estoque ficam retidos até que haja a confirmação do pagamento pela instituição financeira.

Com o aumento da utilização do Pix nas lojas online, os processos se tornarão mais eficazes. As lojas irão ter seus processos de aprovação e envios de mercadoria mais rápidos, e quem ganha é o cliente, tendo uma melhor experiência de compra online.

Acreditamos que com a adoção massiva do uso do Pix como método de pagamento, mais pessoas utilizarão o QR Code em outras etapas do processo de vendas, como na demonstração online de features dos produtos ou serviços, informações complementares de etiquetas, acessos a vídeos e demonstrações 360º.

Por fim, o sistema financeiro global possui novos modelos de pagamento e está em plena transformação. Isso inclui os pagamentos instantâneos, que são uma realidade em mais de 50 países. Tudo está contribuindo para que a experiência do consumidor se torne mais ágil, dinâmica e diversificada para consumidores e empresas.

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato

E-book

Para saber mais sobre como montar uma operação de ecommerce, baixe o e-book.